quinta-feira, 28 de março de 2013

Um ex-motorista de ônibus cria chinelos quadrados... Moisés Dias Pena, de 54 anos, há cerca de um ano criou os Kuatro Kantos... ele teve inspiração após ver mulher com dedo saindo para fora da sandália... a nova moda dos Kuatro Kantos...

Há cerca de um ano, um sinal vermelho de trânsito causou uma reviravolta na vida de Moisés Dias Pena, de 54 anos, despertando-lhe uma ideia que o tornou empresário após 18 anos de trabalho como motorista de ônibus na cidade de São Paulo. Parado no farol, ele viu uma mulher andando com chinelos tradicionais, mas que deixavam os dedos escaparem para fora do calçado. Para evitar a situação, ele teve a ideia de fabricar chinelos “quadrados”, e criou a Kuatro Kantos. “Eu dirigia aqueles ônibus biarticulados. (...) Estava parado no farol, tinha um monte de pessoas passando em direção ao shopping, em direção ao trabalho. Naquela hora, ia passando uma moça, ela estava com uma sandália no pé. O dedo dela estava para fora”, explica. Foi quando ele teve a ideia: “já pensou se no pé daquela moça tivesse uma sandália quadrada?”, conta o empreendedor. De acordo com Moisés, o chinelo "quadrado" é bem confortável porque o pé fica "completamente distribuído pelo solado". Um ano depois, com patente do produto e marca registrada, a empresa viu a produção mensal saltar de 80 para 800 pares, fora as 5 mil unidades vendidas durante feira de calçados e acessórios de moda que aconteceu na semana passada, em São Paulo, a Couromoda. Antes do evento, os modelos já eram vendidos em quatro lojas espalhadas pela Grande São Paulo, além de comercializados por 15 sacoleiras. Na feira, contudo, foram fechados negócios com aproximadamente 30 lojistas de diferentes estados e do interior de São Paulo. “Essa feira foi a maior abertura de portas”, diz o empresário. Moisés, entretanto, relata que o caminho até a venda do primeiro par não foi fácil. Após ter a ideia do produto, ele diz que não via a hora de chegar em casa para contar à esposa. “Ela falou, ‘sandália quadrada? Mas não tem’”, revela. “Eu falei, é claro que não tem, se tivesse, Deus não tinha me dado a ideia” - muito religioso, o empresário faz questão de ressaltar, o tempo todo, que foi graças a Deus que criou a sandália. “Ele direcionou tudo, e só designou Moisés para que ele colocasse em prática.”








0 comentários:

Postar um comentário